Transplante Capilar com a técnica FUT (Follicular Unit Transplantation)

Cabelos naturais para a vida toda

O Transplante Capilar é a transferência das raízes colhidas nas regiões da cabeça que não foram afetadas pela calvície, para as regiões calvas. Esse cabelo nasce, cresce normalmente e dura a vida toda. Apenas uma quantidade limitada de fios pode ser doada. Isso para não gerar alterações estéticas na área doadora. Somente cabelos da própria pessoa podem ser utilizados nesta cirurgia.

Veja a evolução do transplante capilar

No início, em 1959, os grandes blocos circulares de couro cabeludo eram removidos da área doadora através de bisturis circulares (punchs) manuais e depois eram “plantados” na área calva com mais de um centímetro de distância entre eles.

Mais tarde, em 1975, iniciou-se a era dos retalhos que consistia em deslocar uma faixa de dois a quatro centímetros de largura da lateral da cabeça para toda a região frontal, mantendo-se uma extremidade no local para irrigar o retalho. Conseguia-se uma alta densidade pilosa, mas com uma cicatriz linear visível atravessando a região frontal. Era comum a “morte” da extremidade do retalho. Nesse caso o paciente ficava somente com meia reparação.

A partir dos anos 80 começaram a surgir os primeiros mini enxertos colhidos com bisturis circulares motorizados para facilitar e agilizar o procedimento. Nessa época começou-se a implantação de um número maior de enxertos. Ainda nos anos 80, iniciou-se a remoção da área doadora em forma de tiras que eram separadas posteriormente em micro enxertos.

Embora as unidades foliculares já tivessem sido identificadas no início dos anos 80, somente no início dos anos 90 é que começou a técnica folicular FUT (Follicular Unit Transplantation). A partir daí o transplante começou a ganhar uma aparência natural. Detalhes de refinamento foram evoluindo até os dias de hoje, com resultados imperceptíveis.

Nos dias de hoje o transplante de cabelos apresentou avanços técnicos e estéticos que permitem resultados surpreendentes.

Alta densidade e a estética natural da linha frontal são aspectos técnicos avançados que promovem uma verdadeira revolução neste procedimento. Atualmente, a técnica FUE com o Robô ARTAS (clique e saiba mais aqui), é satisfatória, sem cicatrizes no couro cabelo e sem dor no pós-operatório.

Sou um bom candidato

O transplante capilar daria certo pra mim?

O Dr. João Carlos Pereira conhecedor das dificuldades que o calvo enfrenta, entende perfeitamente suas angústias e aspirações, deixando-o à vontade para discutir claramente suas possibilidades numa cirurgia de transplante de cabelos. Ao lado disponibilizamos um FAQ para tirar todas as suas dúvidas em relação à Transplante de Cabelos.

Teoricamente sim, mas na prática isto não funciona porque para manter esse cabelo vivo é necessário o uso constante de medicamentos com inúmeros efeitos colaterais. Quando se trata de um rim, um órgão vital vale a pena o risco, mas se tratando de caráter estético como os cabelos, é desaconselhável.

A maioria dos homens são bons candidatos para realizar o transplante. Entretanto, existem casos que por várias razões apresentam limitações técnicas ou estéticas. O Dr. João Carlos Pereira, coloca francamente as facilidades, dificuldades e até mesmo a impossibilidade de realizar o transplante capilar, porque o maior interessado em bons resultados é ele mesmo. Uma consulta é importante para avaliação do seu caso e para discutir a proposta do trabalho a ser realizado.

A partir do momento que houver um grau de rarefação que seja possível transplantar cabelos sem danificar os existentes já é possível realizar o transplante. Quanto à idade, é possível realizar transplante de cabelos em pessoas muitos jovens com 18 anos e em muitos senhores com mais de 70 anos, desde que o indivíduo possua as condições de saúde necessárias para o procedimento. Os pacientes mais jovens têm a vantagem de colocar cabelos antes de perdê-los totalmente. O médico deve estar atento e prevenir o paciente sobre uma queda adicional no futuro e a necessidade de outros transplantes e do risco dele não ter área doadora suficiente para mais cirurgias.

Sim, mas esse cedo é a partir do momento que a queda se inicia. Pode ser com 20,30,40 anos. Quando a pessoa tem cabelos, embora ralos, dificilmente alguém identificará que foi feito um transplante capilar. Mais tarde, se estes cabelos também caírem existirão os transplantados e nunca esta pessoa passará por um período calvo. Quando isso ocorre, essa área calva sempre fica registrada na memória das pessoas e qualquer mudança é percebida.

Tecnicamente isto é possível, mas o cabelo não teria a mesma densidade, comprimento, espessura e textura do cabelo que cresce no seu couro cabeludo.

Desde que o cirurgião tenha retirado os cabelos da área doadora na faixa dominante o cabelo transplantado permanece a vida toda. A queda diária de 80 fios em média continua igual, devido ao ciclo de cabelo de cair e nascer novamente. Embora nem sempre seja uma tarefa fácil em alguns casos, um cirurgião experiente não comete este tipo de erro.

Ainda tem dúvidas?

Temos em nosso site uma seção exclusivamente dedicada a sanar dúvidas sobre transplante capilar, prevenção e queda de cabelos. Para tirar suas dúvidas a respeito das técnicas mais atuais em transplante, acesse nossa seção de perguntas e respostas sobre o transplante capilar com a F.U.E. Robotic.

"Depois de quatro décadas, o transplante de cabelos apresentou avanços técnicos e estéticos que permitem resultados surpreendentes atualmente"

Solicite mais Informações

Veja como receber mais orientações para o seu transplante.

Autodiagnóstico

Os tratamentos variam de acordo com a calvície. Veja o mais indicado para você.

Orçamentos

Veja como receber mais orientações para o seu transplante.

Agende sua consulta

Reserve sua agenda e venha conhecer uma de nossas unidades.

Fale Conosco

Tire qualquer dúvida e faça contato. Estamos à sua disposição.

Como nos localizar

Encontre sua rota e veja boas opções de hospedagem e transporte.