A alopecia androgenética (calvície feminina), definitivamente não é um privilégio dos homens. Ela chega a atingir até 50% das mulheres e geralmente é atribuída a outros fatores. Até pouco tempo os tratamentos e diagnósticos eram equivocados mas hoje em dia especialistas podem ajudar bastante.

Cerca de 25% das mulheres com 30 anos de idade já mostram sinais de calvície. Depois dos 45 anos, a rarefação dos cabelos fica mais visível.

Avaliando os casos das mulheres que têm queda de cabelo difusa, 20% apresentam calvície. Entre os homens esses percentuais atingem cerca de 85% com rarefação dos cabelos..

A calvície é causada por fatores genéticos e hereditários. Receptores na raízes dos cabelos se ligam com frações dos hormônios masculinos que circulam no corpo. Nas mulheres, a principal fonte desses hormônios são os ovários e a supra renal. A testosterona, através da enzima 5 alfa-redutase, é convertida em dihidrotestosterona e se liga no receptor do folículo piloso (raiz). A característica desta queda de cabelos é a miniaturização dos fios. Os cabelos afinam, perdem a cor, e vão reduzindo seu comprimento até se tornarem um velus. Os cabelos caem pequenos.